EVITAR a utilização da expressão “tribunal arbitral” quando se pretender denominar fisicamente uma instituição administradora de arbitragem;
EVITAR a constituição de entidades denominadas “associação de juízes arbitrais” ou expressões semelhantes;
EVITAR servir-se de símbolos oficiais – tais como o brasão da República Federativa do Brasil – em qualquer impresso ou divulgação de entidades voltadas à mediação e/ou arbitragem.
Clique aqui para visualizar o Parecer do CNJ – Conselho Nacional de Justiça sobre a utilização de Brasão da República por entidades de direito privado
 
Uso do Termo Tribunal
Clique aqui para visualizar o Parecer do Prof. Dr. Carlos Alberto Carmona.